APESB © 2016.Todos os Direitos Reservados

 

Série IV - n.º 7

 

 

 

ARTIGO COMPLETO

 

DOI: 10.22181/aer.2020.0701

 

 

 

Deteção de vírus entéricos em amostras de água natural superficial e de água

para consumo humano

 

Daniel Salvador, Maria Filomena Caeiro, Joana Aguilar, Maria João Benoliel, Célia Neto

 

RESUMO

 

As doenças infeciosas relacionadas com a água são uma importante causa de morbilidade e mortalidade. Dos vários agentes causadores de doença destacam-se os vírus entéricos representados, entre outros, pelos Enterovirus e pelos vírus das Hepatites A e E, que se transmitem principalmente pela via oral-fecal, através da água. Objetiva-se com este estudo a pesquisa de vírus entéricos por transcrição reversa seguida de PCR em Tempo Real (RT-qPCR), em amostras de água natural superficial e de água para consumo humano. Pretende-se também avaliar a eventual associação destes vírus com outros indicadores de contaminação fecal e a eficácia dos sistemas de tratamento de água na sua eliminação em Estações de Tratamento. Verificou-se a adequação da metodologia implementada uma vez que, nas 15 amostras analisadas até à data, foram detetados RNAs virais em amostras de água natural superficial: do vírus da Hepatite A em duas amostras e de Enterovirus em três amostras. Numa destas amostras foram detetados ambos os vírus. O vírus da Hepatite E não foi detetado. Em amostras de água para consumo humano não foram detetados ácidos nucleicos virais. Os coliformes fecais (indicadores microbianos de contaminação fecal) foram encontrados e quantificados em amostras de água natural, mas não em amostras de água para consumo humano. A deteção de RNA viral e de coliformes fecais foi apenas parcialmente

coincidente.

 

PALAVRAS-CHAVE: água, coliformes fecais, RT-qPCR, saúde humana, vírus entéricos

 

DOI:  10.22181/aer.2020.0701

 

 © apesb 2020